FTT - Futebol de Todos os Tempos

ENTREVISTAS COM EX JOGADORES, TECNICOS, DIRETORES E PESSOAS LIGADAS AO FUTEBOL QUE CONTRIBUIRAM DE ALGUMA FORMA PARA QUE PUDESSEMOS CONHECERMOS UM POUCO MAIS DA HISTORIA DO FUTEBOL BRASILEIRO E MUNDIAL.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Esquadrão Inesquecivel - PONTE PRETA 1977

Geralmente os times são lembrados pelos titulos que conquistam ao longo da historia do clube.
Porem existem aqueles times que foram extraordinarios e inesqueciveis mesmo perdendo o titulo. Como esquecer da Seleção Brasileira na Copa de 1982 jogando o fino do futebol?
O mesmo serve para a Ponte Preta em 1977.
Um time que vendeu caro o titulo de campeão paulista e que somente foi decidido na terceira partida das finais.
O adversario da final era o Corinthians que estava na fila a 23 anos e trazia toda uma enorme torcida para terminar este incomodo jejum de titulos.
A equipe corintiana derrotou na final, após três partidas, a Ponte Preta pelos placares de 1 a 0 para o Corinthians na primeira partida, 2 a 1 para a Ponte Preta na segunda partida e 1 a 0 para o Corinthians na terceira e última partida.


O time da final :


Carlos, Jair Picerni, Oscar, Polozzi e Odirlei (na final jogou o Ângelo), Vanderley, Dicá e Marco Aurélio; Lúcio, Parraga (na final jogou o Rui Rei) e Tuta

Só para se ter uma ideia da qualidade deste time pontepretano, se pegarmos qualquer torcedor da Macaca e fizermos uma enquete sobre a melhor Ponte Preta de Todos os Tempos, certamente 80 % deste time fará parte. Como esquecer das grandes defesas de Carlos? O goleiro passava muita segurança a seu time mesmo sendo jovem na época.
Os dois laterais eram firmes na marcação com destaque para o jovem Odirlei, na lateral esquerda. Era muito bom na defesa e subia tambem ao ataque com bons cruzamentos buscando Parraga e Rui Rei.

Odirlei
O miolo de zaga foi sem duvidas um dos pontos fortes deste time com o craque Oscar e Polozzi. Os dois jogaram muito neste campeonato paulista.


Oscar uma revelação da Ponte com muita tecnica.

No meio campo o termometro desta equipe. O volante Vanderley Paiva foi contratado ao Atletico Mineiro e foi o carregador de piano com sua raça aliada a tecnica. Era quem marcava na entrada dando o primeiro combate. Armando o time estava Marco Aurelio um meia armador de excelentes qualidades tecnicas. Revezava com Dicá na construção das jogadas.

Dicá foi sem duvida o maior jogador deste time e da historia da Ponte Preta. Lançava, armava e fazia gols . Suas cobranças de falta eram sempre um grande perigo aos goleiros adversario.

Dicá o craque da camisa 10



BELA CAMPANHA

Contra os grandes do estado de São Paulo a Ponte Preta perdeu uma partida apenas para o Palmeiras por 4x3. Jogou 6 vezes contra o Corinthians no campeonato e venceu 4 destas partidas sneod uma por 4x0.


Ponte Preta 4-0 Corinthians
Ponte Preta 3-1 Guarani
Portuguesa/SP 0-0 Ponte Preta
Palmeiras 0-0 Ponte Preta
Ponte Preta 1-1 Santos
São Paulo 0-0 Ponte Preta
Ponte Preta 0-0 Portuguesa/SP
Ponte Preta 3-4 Palmeiras
Santos 0-1 Ponte Preta
Ponte Preta 0-0 São Paulo
Guarani 0-0 Ponte Preta
Corinthians 1-2 Ponte Preta

TERCEIRA FASE
Ponte Preta 2-0 Guarani
Corinthians 0-1 Ponte Preta
Santos 0-1 Ponte Preta
Ponte Preta 3-1 São Paulo
Portuguesa/SP 1-1 Ponte Preta
Palmeiras 0-0 Ponte Preta

Rui Rei nas partidas finais acabou sendo expulso e acusado
de forçar sua expulsão para facilitar sua saida para o Corinthians.

FINAIS

Corinthians 1-0 Ponte Preta

Corinthians 1-2 Ponte Preta

Corinthians 1-0 Ponte Preta

4 comentários:

  1. Este foi, talvez, o segundo grande time da Ponte Preta. Houve uma grande equipe no início dos anos 70, com Nelsinho, Manfrini, o próprio Dicá e tantos outros. E há também um jogador que muitas vezes é lembrado para o time de todos os tempos, que é o lateral Bruninho, jogador dos anos 40 e 50.
    Mas, sem sombra de dúvidas, foi esta Ponte que fez história. Desde 1976 já vinha jogando muito bem, fazendo Campinas ser considerada a cidade do futebol brasileiro, já que o Guarani também começava a despontar.
    O vice de 77 tem muitas histórias. A Macaca tinha a melhor campanha, sendo que o Corinthians foi se acertando nas rodadas finais do campeonato. Foram três jogos que pararam a cidade de São Paulo e até mesmo o Brasil. No primeiro, o Timão venceu por 1 a 0, com um gol de nariz do Palhinha. Na segunda partida, em um domingo com o estádio do Morumbi recebendo 150 mil pessoas, Vaguinho abriu o placar, com Dicá, em bela cobrança de falta, empatando o jogo e Rui Rei marcando o gol da vitória da Ponte. E na derradeira última partida, Basílio fez o gol do título corintiano em um jogo que a Ponte Preta não jogou nada. Obviamente que muitas histórias foram ditas sobre esta partida. Mas, infelizmente para os ponte pretanos, o seu time nunca sagrou-se campeão paulista.
    Em 79, foi novamente vice para o mesmo Corinthians, agora com Sócrates. E no ano de 81, perdeu para o São Paulo.
    Acho difícil voltar a surgir uma geração como esta, com um craque como Dicá, esquecido que foi pra disputar a Copa do Mundo de 1978.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a matéria, parabéns.
    Só uma observação: na foto do time de 77 a legenda diz que agachados estão pela ordem, Lúcio, Dicá, Rui Rei, Marco Aurélio e Tuta. Na verdade a ordem correta é Lúcio, Marco Aurélio, Rui Rei, Dicá e Tuta. Que belíssimo time, não?

    ResponderExcluir
  3. A Ponte Preta foi roubada escandalosamente pelo Árbitro e seus auxiliares, basta ver o lance que o Lúcio sofre uma falta, mas rápido como era foge da mesma, cai na cara do Tobias, pronto para arrematar e fazer o gol da Ponte Preta, mas o juíz apita falta e tem a cara de pau de pedir DESCULPAS. Se a Ponte faz aquele gol não perderia o título nunca.

    ResponderExcluir