FTT - Futebol de Todos os Tempos

ENTREVISTAS COM EX JOGADORES, TECNICOS, DIRETORES E PESSOAS LIGADAS AO FUTEBOL QUE CONTRIBUIRAM DE ALGUMA FORMA PARA QUE PUDESSEMOS CONHECERMOS UM POUCO MAIS DA HISTORIA DO FUTEBOL BRASILEIRO E MUNDIAL.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Craque da Semana - EDU ANTUNES

Quem só viu futebol a partir da década de 80 pode achar que a família Antunes, de Quintino, revelou apenas um craque: Arthur Antunes Coimbra, o Zico. Mas aqueles que acompanharam o esporte nas duas décadas anteriores sabem que isso não é verdade. Eduardo Antunes Coimbra, o Edu, foi um dos maiores jogadores da história defendendo o América. É o maior artilheiro que o clube teve até hoje, com 212 gols.



Filho do meio de Seu Antunes e Dona Matilde, Edu seguiu os passos do irmão Zeca (José Antunes) e partiu em busca de um lugar no futebol. Aos 15 anos, em 1962, ingressou no time infantil do América e se destacou com uma velocidade recorde. Muita gente não sabe, mas Eduzinho conseguiu o feito de atuar pelo Infantil, Juvenil e Profissional do clube em menos de quinze dias.
Ele foi um autêntico camisa 10, um meia-direita que usava de habilidades físicas e psicológicas para driblar seus marcadores (até escreveu um livro sobre o assunto). É o maior ídolo da história de um clube carioca, que tem uma torcida fiel e tradicional. Estava cotado para o grupo da Copa de 70. Ah, e também é irmão do Zico






Edu sempre habilidoso passa por dois no treino do America

Era um ponta-de-lança habilidoso, um artista de dribles curtos, deslocamentos precisos e chutes certeiros. A partir de 1966, depois de ser lançado por Wilson Santos, ex-zagueiro e técnico do Juvenil, passou a defender efetivamente os Profissionais do alvirrubro e começou a sua trajetória como artilheiro, que só terminou em 1974 quando conquistou a Taça Guanabara, único título pelo clube. Esta equipe tinha Orlando, Luizinho e Bráulio e é considerada uma das melhores safras americanas em todos os tempos. Porem Edu atuou no começo como camisa 9 e foi inclusive artilheiro do Roberto Gomes Pedrosa de 1969 e considerado o Melhor Jogador da America do Sul neste ano. Nem isto serviu para Zagallo leva-lo entre os 22 para a Copa de 70. Ficou apenas na relação dos 40 convocaveis.Com a chegada do tecnico Zizinho ao America ele foi então colocado na função de ponta de lança com a camisa 10.




Edu fez parte de um dos melhores times do America nos anos 70,
jogando com outros craques como Orlando, Alex, Braulio e Ivo.


No ano seguinte Edu partiu para uma vida cigana. Ele se transferiu para o Vasco e logo depois para o Bahia, onde se sagrou campeão estadual em 1975. Em 1976 um momento histórico. Edu atuou uma temporada ao lado do irmão Zico, no Flamengo. Com Antunes ele já havia feito uma dupla infernal no América. No mesmo ano ainda jogou no Colorado (PR) e depois no Joinville (SC). Em 1979 o baixinho dos Antunes (1,64) conhecido como Pequeno Príncipe, foi jogar em Brasília dando continuidade a carreira nômade. Pendurou as chuteiras em 1981, após duas temporadas no Campo Grande, do Rio de Janeiro.

Pela Seleção Brasileira Edu disputou apenas dois jogos, em 1967, conquistando a Copa Rio Branco. Muitos cronistas consideram injusta a modesta passagem dele pela Seleção e alguns garantem que ele teria uma vaga entre os 22 jogadores que disputaram a Copa do Mundo em 1970.

4 comentários:

  1. Edu foi um craque de bola! Formou com Eduardo uma espetacular ala-esquerda. Muitos que o viram jogar consideram que tenha sido melhor que o irmão, Zico. Infelizmente não teve a mesma projeção do Galinho, pois jogava em um time de menor expressão, apesar de o América ser considerado no passado um dos grandes do futebol carioca. A grande mágoa da sua carreira foi não ter sido chamado pro grupo da Seleção Brasileira de 70, quando estava em grande fase.

    ResponderExcluir
  2. Edu jogou muito, um verdadeiro craque. Só não concordo quando dizem que jogou mais que o irmão Zico. Tem gente que enxerga o que a maioria não vê ou mesmo para não contrariar o grande jornalista e escritor Nelson Rodriques que diza que "toda unanimidade era burra".

    ResponderExcluir
  3. SERGIO PAIVA RIBEIRO11 de março de 2012 07:04

    Um "fora de série" e uma grande figura humana, como todos da família. Em 1970 preferiram levar Dario e deixá-lo de fora da seleção. São as contradições do futebol. Tenho muito orgulho de tê-lo conhecido pessoalmente e tê-lo como amigo.

    ResponderExcluir
  4. Edu Coimbra?
    Nossa! Eu ví jogar... Como também ví o saudoso Zeca, o Nando (mesmo perseguido pelos milicos). Também ví jogar o Tunico (Campeão universitário) e o inesquecível Zico.
    Vi todos os frutos do seu Antunes brilharem, até a Zezé, única menina do grupo.
    Saudade de tempos bons, com homens de bem jogando bola, por amor à camisa, por gostar de jogar bola. Família de caráter e atletas sem par.
    Bons tempos mesmo.

    ResponderExcluir