FTT - Futebol de Todos os Tempos

ENTREVISTAS COM EX JOGADORES, TECNICOS, DIRETORES E PESSOAS LIGADAS AO FUTEBOL QUE CONTRIBUIRAM DE ALGUMA FORMA PARA QUE PUDESSEMOS CONHECERMOS UM POUCO MAIS DA HISTORIA DO FUTEBOL BRASILEIRO E MUNDIAL.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Esquadrão Inesquecivel - FLAMENGO 1987

FLAMENGO 1987 - CAMPEÃO BRASILEIRO
Um time muito bem armado pelo competente tecnico Carlinhos. Jogadores que formaram a base no tri campeonato brasileiro em 80-82-83 como Leandro, Andrade e Zico se juntaram a outros experientes como Edinho vindo da Udinese-IT e Renato Gaucho do Grêmio. Se o time possuia jogadores experientes aliou a isto jovens valores como o lateral esquerdo Leonardo e Jorginho com 22 anos na lateral direita.
Bebeto , Ailton, Zinho e Ze Carlos tambem eram jovens jogadores.
A mescla foi muito bem feita pelo tecnico Carlinhos que manteve o estilo cadenciado que caracterizou o tricameponato do Flamengo no inicio dos anos 80.


Leandro, Ze Carlos, Andrade, Edinho, Leonardo e Jorginho
Agachados: Bebeto, Ailton, Renato Gaucho, Zico e Zinho.

Outros Jogadores: Cantareli, Júlio Cesar, Zé Carlos II, Guto, Aldair, Flavio, Airton, Kita, Gerson, Vandick, Alcindo, Henágio, Leandro Silva e Nunes.


Leandro foi peça fundamental no esquema do tecnico Carlinhos.

A SEMIFINAL - A HORA DA VERDADE
Os mineiros eram favoritos e por terem feito melhor campanha, jogavam a segunda partida em casa. O Cruzeiro após segurar um empate no Beira Rio contra o Inter empatou novamente no Mineirçao em 0x0. A partida foi para a prorrogação e o Inter acabou vencendo por 1x0.
Na outra semifinal, o invicto Atlético-MG pegou o Flamengo no Maracanã. Impulsionado pela sua gigantesca torcida, o time rubro-negro venceu por 1 a 0, gol de Bebeto. No Mineirão, os mineiros estavam preocupados com a sina que perseguia o Galo nos Campeonatos Brasileiros. Aconteceria de novo? No início parecia que sim. Com uma grande atuação de Renato Gaúcho e Zico, o time carioca fez 2 a 0. Como jogava pelo empate, o Fla relaxou e permitiu o empate dos mineiros. Quando a torcida se enchia de esperança, Renato Gaúcho, em uma arrancada fenomenal, driblou o goleiro e fez o gol da vitória do Flamengo. Mais uma vez, o Atlético-MG perdia em casa sua classificação. O pior é que o time só perdeu duas vezes na competição, justamente quando não podia.
Mostrava mais uma vez naquele ano que craque o Flamengo faz em casa, um time que contava com Zé Carlos, Leandro, Leonardo, Andrade, Ailton, Zico, Aldair e Zinho, a grande maioria deles com ótima passagem pela Seleção Brasileira. Era uma máquina de jogar futebol.



Renato Gaucho desequilibrou no Mineirão.
Ele fez um campeonato perfeito, com raça, ousadia e gols.

A FINAL CONTRA O INTER

O Flamengo era o grande favorito da final. Como se não bastasse eliminar o bicho-papão da Copa União, o time vinha embalado e subindo de produção. O Inter estava numa situação inversa. Depois de assegurar a vaga na semifinal com um ótimo primeiro turno, os gaúchos ficaram em penúltimo no segundo. No Beira-Rio, no dia 6 de dezembro, com um público de 62.228 pagantes, o Flamengo saiu na frente com Bebeto, mas o Inter empatou.
No Maracanã, dia 13 de dezembro, a massa rubro-negra lotou para acompanhar o que seria o quarto título rubro-negro, um dilúvio não impediu que mais de 90 mil pagantes vissem um domínio total do Flamengo. Bebeto fez 1 a 0 logo no início do primeiro tempo. O Inter não conseguiu reagir em nenhum momento do jogo. A meta de Zé Carlos nunca foi ameaçada. A defesa com Jorginho, Edinho, Leandro e Leonardo comportou-se maravilhosamente. A festa estava completa. O Flamengo conquista seu quarto título nacional. Última conquista de um título Brasileiro do Flamengo sob o comando do grande Zico.



"Pensei que passaríamos trabalho no segundo tempo", rememorava Zico. "Só que a reação do Inter não nos assustou." Por quê? Porque o time gaúcho não tinha força suficiente - e essa é quase que sua única arma - e também porque o Flamengo não desmentiu Ênio Andrade. O técnico colorado, consciente de que treina um time limitado, elogiava o de Carlinhos pela seriedade com que passou a marcar a partir do segundo turno.
Bebeto, esse era a imagem da emoção - e agora as lágrimas que lhe valheram o apelido de "chorão" tinham razão de ser. "Dedico o gol e o título à Denise, minha mulher", soluçava ele, segurando a calculadora que ganhara de uma rádio como prêmio.
O mesmo fez o garoto Leonardo, que, também em prantos, balbuciava: "Quando eu deixei os juniores e estreei, na abertura da Copa União, a torcida mal sabia o meu nome." O contraste absoluto estava nas palavras do grande Leandro, que até poderiam soar um tanto cruéis. Segundo ele, certos jogadores do Inter sentiram demasiado o berro do Maracanã. "Não vou citar nomes, mas alguns tremeram. Pareciam petrificados", dizia. Não era crueldade. No silencioso vestiário colorado, dois jogadores, Norberto e Luís Carlos, confirmavam essa constatação. "Faltou personalidade a alguns, e nem vou alegar a pouca idade, pois o cara deve ser macho desde guri", desabafava o capitão Luís Carlos.
Não, Zico não foi o mais brilhante. Mas foi o cérebro e olhos. Um capitão. Um indispensável condutor de craques. Aos 34 anos, o herói de sempre.

Zico e Zinho desfilam com a Taça de Campeão Brasileiro

13/12/1987 - Maracanã
Flamengo 1x0 Internacional
Juiz: José de Assis Aragão (SP);
Renda: Cz$ 20.452.800; Público: 91.034;
Gol: Bebeto, 16 do 1o tempo;
CA: Aluísio e Edinho

Flamengo: Zé Carlos, Jorginho, Leandro, Edinho e Leonardo; Andrade, Aílton e Zico (Flávio); Renato Gaúcho, Bebeto e Zinho. Técnico: Carlinhos

Internacional: Taffarel, Luís Carlos Winck, Aluísio, Nenê e Paulo Roberto (Beto); Norberto, Luís Fernando e Balalo; Hêider (Manu), Amarildo e Brites: Técnico: Ênio Andrade.

Um comentário:

  1. O time do Flamengo de 1987 fez uma bela campanha na conquista da Copa União. O time era brilhante, com destaques para Zico, Bebeto e Renato Gaúcho.
    Na semifinal contra o Atlético Mineiro, mostrou porque era o melhor time do Brasil. Mesmo o Galo tendo feita excelente campanha, este não resistiu, o que aumentou a fama de azarado que o técnico Telê Santana tinha na época.
    No jogo final, venceu com eficiência o Internacional de Taffarel.
    Mesmo muitos considerando o Sport como verdadeiro Campeão Brasileiro deste ano, não há como negar a importância deste título do Flamengo e de sua bela equipe.

    ResponderExcluir